domingo, 5 de maio de 2013

AMOR AO MEU JEITO!

Recôndito entre a primavera,
nas noites escuras dessa era,
onde os ventos gemem as eira(s)
sob o vazio distante,
desejos perseguindo os amantes,

Eu Amo-te,

Nessa visão prisma
onde a névoa, dança o clima,
perseguindo as cores das rima(s)
em alta constelação de zeta,
tintas, tingem o que inspirar o poeta,

Ali, eu Amo-te...!

ganhando expressão no vazio,
não é só pelo teu  cio,
até onde o ósculo frio,
não chega,
lá, onde o desejo e a vontade
não se nega,
 eu amo-te...!

1 comentário:

NeusaMarilda_Lavienrose disse...

Forte declaração de um amor igualmente forte.A poesia bem inspirada.Parabéns!